Quanto ganhará um advogado em 2017?

Veja os salários das principais carreiras jurídicas para 2017.

A advocacia como bem sabemos é elevada pela nossa Carta Política, no art. 133, como função indispensável à administração da justiça, na medida em que o advogado é defensor do Estado Democrático de Direito, da cidadania, da moralidade pública, da Justiça e da paz social (art. 2º do Código de Ética e Disciplina da OAB).
De tal modo, a qualquer tempo, o exercício da advocacia é importante e imprescindível para o zelo da tutela dos bens jurídicos dos cidadãos, seja pela postulação em juízo, seja nas atividades de consultoria, assessoria e direção jurídicas (Estatuto da Advocacia).
Todavia, diante da atual conjuntura econômica e política instalada no país, eleva-se a necessidade de amparo por estes profissionais, fazendo com que determinadas áreas de atuação ganhem relevo em termos econômicos.
Quanto ganhar um advogado em 2017
Acerca disso, bem reflete o Guia Salarial 2017 da Robert Half – empresa de recrutamento especializado a oferecer profissionais qualificados para a área financeira -, pelo qual se divulgou as projeções acerca da remuneração das principais carreiras jurídicas para este ano.
Segundo a referida pesquisa, os advogados da área trabalhista serão os mais valorizados, em razão do alto índice de demissões ocorridas e que, ainda, ocorrerão no país.
Além disso, as áreas de falência e recuperação judicial, de litígios cíveis no geral e de consultoria tributária permanecerão em alta.
Quanto à atuação no contencioso trabalhista, um advogado júnior atuante em escritório de grande porte passaria a receber, em média, entre R$ 3.600,00 e 5.000,00, ante o patamar de R$ 3.250,00 e 4.700,00 do ano de 2016. Já na área consultiva, um advogado pleno atuante em escritório de médio porte poderá ter um aumento em média de 9,5%.
No contencioso cível, um advogado júnior em escritório de grande porte poderá experimentar um aumento de 6,5%, já o contencioso tributário na mesma categoria, de 7,8%.
Confira todas as projeções baixando o guia aqui.
Fonte JusBrasil

Publicado por EBRADI

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.