Agora advogado pode tirar férias? Eu amo o no Novo CPC!

Parece uma miragem, ou é um advogado de férias?
É isso mesmo, a partir da vigência do Novo Código de Processo Civil, ficam suspensos os prazos no período compreendido de 20 de Dezembro à 20 de Janeiro.
Durante esses dias, não correrão prazos, nem audiências e tampouco julgamentos. Vale salientar que não são as férias do poder judiciário; a parte pode peticionar, pode proferir sentença, entre outros atos processuais, mas os prazos começaram a contar somente a partir do dia 20 de janeiro.

Art. 220. Suspende-se o curso do prazo processual nos dias compreendidos entre 20 de dezembro e 20 de janeiro, inclusive.
§ 1 Ressalvadas as férias individuais e os feriados instituídos por lei, os juízes, os membros do Ministério Público, da Defensoria Pública e da Advocacia Pública e os auxiliares da Justiça exercerão suas atribuições durante o período previsto no caput.
§ 2 Durante a suspensão do prazo, não se realizarão audiências nem sessões de julgamento.

Portanto, as tão aguardadas férias de fim de ano, essênciais para a vida agitada de um advogado, agora ficaram mais fáceis de serem marcadas na cuja data, afinal, a vida do operador do direito é boa, mas não há engravatado que se abstenha de um bom e merecido descanso.
Fonte: JusBrasil
Publicado por Marcio Ardenghe

ATENÇÃO ADVOGADO!

Tenha acesso ao E-Book  “51 Dicas sobre Prazos Processuais no Novo CPC”

BannerEBook51Dicas-250

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.