Advogado, você já levou calote de algum cliente? 10 dicas para evitar bolsos vazios.

Tempo de leitura: 2 minutos

Baby, dê-me meus honorários que eu quero viver!

Bem, não é assim que o Zé Ramalho canta, mas a paródia se adequa claramente ao tema que irei abordar: Cano, calote, inadimplência de clientes.

Quem nunca passou por isto, levante as mãos para os céus e agradeça! Todavia, quem já passou ou está prestes a passar, deve ler estas dicas tão simplórias, mas tão eficazes.

Vamos lá:

1) Entreviste o cliente demoradamente. Fixe na leitura corporal e facial do mesmo. Observe sua conversa. Deixe-o à vontade, mas você fique bem atento avaliando-o;

2) A avaliação acima servirá como alicerce para você ponderar se vale mesmo a pena representa-lo ou não. Sim, clientes confusos, birrentos, indelicados com advogados que já o representaram noutras causas, deve fazer acender a luzinha vermelha em seu radar investigativo. Ora, quem garante que ele manter-se-á leal e fiel ao novo advogado?

3) Não permita que clientes falem mal dos seus colegas de profissão. Fale da Ética profissional, diga que a vida segue em frente e que as pessoas são falhas mesmo.

Pronto! Fofoca encerrada!

4) Na hora de fechar os honorários, atente para o seguinte: se o cliente já iniciar a conversa com a famosa história de que está liso igual um mussum, é hora de dizer: – Lamento muito, mas eu preciso ser remunerado para poder trabalhar.

5) Se ele insistir em pirangar (mitigar) seus honorários. Fique esperto: Você pode estar diante de um complicado sindicalizado.

Saia fora!

6) Jamais feche quaisquer tipos de serviços jurídicos sem o efetivo Contrato de Prestação de Serviços Advocatícios. A colega Alessandra Strazzi tem um modelinho bem bacana disponibilizado para os Jusbrasileiros. Adapte aos seus padrões e use cotidianamente.

7) Tenha o hábito de anotar em planilha as entradas e saídas dos recursos financeiros do seu escritório. O que é um minúsculo escritório hoje, amanhã será um big centro advocatício brasileiro.

Creia!

Saiba exatamente quanto o seu escritório está faturando. Dizem que uma coisa que advogado não é, infelizmente, é organizado neste aspecto. Lembra do que tem escrito na bandeira brasileira? Ordem e Progresso! Sim, onde tem ordem, tem progresso!

8) Não tenha um pingo de receio em cobrar seus honorários aos seus clientes devedores. Ligue, remeta Wpp, notifique via correios. Fale que assim como ele, você também tem filhos, contas, escola, combustível, e para manter tudo isto, sobrevive unicamente dos justos honorários advocatícios.

9) Não hesite em cobrar judicialmente os inadimplentes. Ora, a lógica é básica: como você pode promover a justiça de outrem, se não persegue os seus próprios direitos?

10) Finalmente, atente que não estará imune de levar um baita de um calote, mas agindo preventiva e prudentemente, observado estas regrinhas de ouro, será muito mais difícil estar na roda dos ‘advogados lesados’.

Publicado por Fátima Burégio Advocacia

Fonte JusBrasil