Exemplo de sucesso, jovem juiz federal inspira concurseiros por todo o país.

Tempo de leitura: 2 minutos

Aprovado em 1º lugar para juiz federal, o magistrado leciona aulas de Direito em preparatórios de Brasília. O piauiense Pedro Felipe de Oliveira Santos, 27 anos, fez história ao se tornar o mais jovem juiz do Brasil com apenas 25 anos de idade. Agora, o rapaz auxilia outras pessoas a também realizar o sonho de ser aprovado em um concurso público. Desde que se tornou um juiz federal em fevereiro de 2013, Pedro Felipe ministra aulas de Direito Civil e Administrativo em cursos preparatórios de Brasília e também dá dicas através das redes sociais de como se preparar para os exames.

A história do jovem piauiense serve de inspiração para milhares de concurseiros. O vídeo que mostra seu discurso durante a solenidade de posse dos juízes federais substitutos aprovados do Tribunal Regional Federal da 1ª Região já havia sido visualizado por 88.360 pessoas. Além disso, diariamente ele recebe vários emails e mensagens de estudantes solicitando dicas de estudo, de livros e outras lhe parabenizam pela história de vida.

“Fico muito feliz quando os alunos me questionam sobre minha preparação e qual a melhor forma para enfrentar os concursos públicos. Sinto-me motivado a continuar ministrando aulas ao saber que muitas pessoas se identificaram com minha história e também buscam a mudança de vida. Há pouco tempo soube que uma jovem voltou a estudar após dois anos. A mulher me contou que ficou desmotivada depois que foi reprovada em um teste físico para o cargo de delegado, mas segunda ela, o que lhe motivou a continuar na batalha foi meu discurso de posse”, contou o jovem.

Em cinco anos, Pedro Felipe chegou ainda a ser aprovado para procurador do estado de Alagoas, defensor público do estado do Piauí (1º lugar), defensor público do estado de Alagoas, defensor público da União (1º lugar) e juiz federal (1º lugar).

Para o jovem magistrado, os concurseiros não devem encarar as provas com medo ou receio. Ele cita como orientações para um bom desempenho, a conciliação dos estudos com a vida pessoal. Para Pedro Felipe, a higienização mental é extremamente importante.

“Desde cedo comecei a fazer muitas provas. Então, inscrever-se em concursos públicos e resolver questões é um excelente termômetro para detectar quais os pontos a melhorar e as disciplinas que demandam mais tempo de estudo, mas também recomendo que os estudantes tenham uma vida paralela aos estudos. Ao contrário do que muitas pessoas pensam que sair com familiares e amigos atrapalha, no meu ponto de vista isso faz bem desde que seja realizado de forma moderada. Também é importante ler livros extrajurídicas, pois a aprovação em concurso não é apenas um projeto de meses, mas de anos”, explica.

Fonte JusBrasil

Publicado por Felipe Alves